Você não é o outro

Porque nós nos frustramos quando vemos alguém que aparenta ou tem a mesma idade que a gente e conquistou grandes feitos? Obviamente, essa comparação existe porque as realizações do outro são importantes para nós, por exemplo: comprar uma casa ou um carro.

Você tem sonhos e desejos, assim como todos, querendo ou não o instinto competitivo existe quando vemos outras pessoas realizarem aquilo que nós queríamos já ter realizado, ou quando alguém também está atrás do que buscamos. Quero deixar bem claro já no começo que ser competitivo não é ser invejoso, há uma diferença muito grande que separam estes dois.

Ser competitivo é, por exemplo: você está disputando com outras pessoas a mesma vaga de emprego, ou seja, você irá fazer o máximo para dar o seu melhor e ser contratado. Caso você não consiga, tudo bem, deu o seu melhor e se a outra pessoa conseguiu, mérito dela e a vida continua. Já a inveja, aplicada no mesmo contexto e exemplo, se diferencia quando você perde a competição e reconhece que quem ganhou é culpado de sua derrota, acaba ficando irritado e triste pelo fato de que a outra pessoa conquistou o que você gostaria.

Inveja pode ser algo comum, mas não é normal, é uma disfunção e deve ser tratada por um especialista. Disfunção essa, que não prejudica ninguém além do invejoso.

O seu tempo é exclusivamente seu

“Você não é obrigado a se formar com 25, se casar com 27, ou falar outra língua aos 19. Você não é obrigado a ter um carro antes dos 30 ou conhecer Paris até os 40. Você não é obrigado a ser feliz no tempo dos outros. Cada um tem o seu tempo, a felicidade é uma experiência individual. Não se torne refém da opção alheia, pois que vai carregar o dilema de ser você não será os outros.” – Marcos Bulhões

Eu gosto muito deste texto, foi graças a ele que resolvi escrever a publicação de hoje. Você não precisa seguir padrões, você pode sim ser quem você é, até porque, é impossível ser o outro. Você deve conviver com o fato de “ser você mesmo” sem que isso se torne um fardo a ser carrego de maneira árdua e dolorosa. Você sempre quis fazer uma faculdade e não fez quando jovem? Faça agora, o que mais existem são pessoas fazendo isso e se sentindo realizadas, mas não porque foram impostas a fazê-lo, mas porque é um desejo individual e único delas.

Não quer viajar o mundo? Não viaje. Não quer ter um carro? Não tenha. Quer trabalhar por conta própria? Se planeje e trabalhe. Mas saiba, isso tudo acontecerá de acordo com o SEU tempo, e não com o do outro. Até porque, o outro está inserido em um contexto totalmente diferente de sua realidade, por mais que questões socioeconômicas possam as vezes serem parecidas, pode ter certeza, o outro pensará de forma diferente de você e vice-versa.

Entenda quem você é

Quando buscamos o autoconhecimento e entendemos quem somos, automaticamente a nossa maneira de ver o nosso interior e exterior mudam. Entendemos que somos seres únicos, com objetivos e ideais diferentes de qualquer outro, esse fato é o que torna a nossa espécie fascinante, a capacidade da diferenciação, então pare de se comparar e utilize esta diferença para fazer o que os outros não fizeram e ser quem eles não foram.

Se parece óbvio tudo isso para você, ótimo, você tem sua autoestima elevada! Se não é tão óbvio assim e você tem o hábito de se comparar, leia e releia esse texto e reflita sobre cada palavra.

Você é você, o outro é o outro.

Compartilhe!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s