O que eu aprendi viajando sozinho

Viajar é uma das minhas paixões, um hobby que com toda certeza levarei para a vida. Amo estar conectado com outras culturas, paisagens e gastronomia. Entender a história de cada país, a opinião de cada pessoa sobre as teorias que sempre estiveram presente na nossa humanidade e as que estão surgindo e se propagando pouco a pouco. Para mim, esse choque de realidade – se é que devo chamar assim – de entender que o mundo não gira exclusivamente ao nosso redor, nem do nosso país, mas em torno de todo um contexto macro, é algo que me traz avivamento, novas ideias e reflexões sobre a minha vida e sobre o mundo.

Conheço muitas pessoas que tem muita vontade de viajar, mas por padrões culturais de pensamentos adquiridos através da família, amigos ou qualquer meio de comunicação, deixam de realizar essa experiência única e incrível da vida. Os padrões mais comuns usados como empecilhos para não viajar, que pelo menos eu tenho ouvido durante os últimos anos são:

  • Não tenho dinheiro;
  • Não tenho tempo;
  • Não sei falar outro idioma;
  • Não tenho companhia.

Viajar não é um sonho impossível

Afirmo, conhecer os lugares que você deseja pode não ser uma tarefa simples, mas é com toda certeza possível para qualquer um! O fator principal que me fez viajar sozinho para dois países, gastando muito pouco foi: priorizar.

Em novembro de 2018, eu fui para o Paraná, com o intuito de conhecer as famosas e belíssimas Cataratas do Iguaçu, nessa mesma viagem, aproveitei e conheci o Paraguai e a Argentina, que fazem fronteira com o estado do Paraná. Quebrei todas as minhas crenças possíveis, coloquei uma mochila nas costas, aproveitei um feriado prolongado e fui sozinho me aventurar, gastando muito pouco.

Como você pode perceber, não estava acompanhado (apesar de ter feito amizades nos lugares em que passei, e isso foi algo extraordinário). Sobre a questão da “falta tempo”, aproveitei um feriado, algo que é acessível para a maioria das pessoas e fui treinar o meu espanhol, que inclusive não estava nem no avançado. Idioma é algo importante na hora de viajar? Com toda certeza! Mas você não precisa ser fluente, aprendendo o básico você consegue se virar e tirar muito proveito de qualquer lugar do mundo, principalmente se você conseguir se comunicar em inglês, que é falado em todos os continentes.

Arquivo pessoal – Gabriel Fogaça – Marco das Três Fronteiras, Paraná, Brasil.

Para viajar não é preciso ser rico

As pessoas pensam que somente quem tem muito dinheiro pode viajar pelo mundo, isso é um tremendo mito. A questão, como já disse acima, são as prioridades. Quais prioridades você da para o seu dinheiro no quesito lazer? Ir para o barzinho fim de semana? Para as baladas? Deixo bem claro que não é certo nem errado curtir, mas como sempre digo, foco é direcionamento, se você direcionar o dinheiro que você gasta com lazer para viajar, verá que é mais do que possível conhecer lugares incríveis. (E você não precisa ter um salário de executivo para isso). Planejamento e foco são essenciais para curtir ótimos destinos.

Você não precisa ter férias imensas

Há, pelo menos no Brasil, tantos feriados, que se planejados com precisão, podem render várias viagens durante o ano. Claro, se você quer ficar viajando durante meses, é necessário um planejamento maior, tanto financeiro quanto em relação ao tempo (principalmente se você tem um emprego, etc.) Por mais limitado que pareça, ficar alguns dias em outro país ou estado, já são experiências incríveis. Aproveite os feriados e as férias, e planeje viagens com antecedência, todos temos tempo, o que diferencia um dos outros são as formas de utilização desse tempo.

Fluência no idioma local não é necessário

Quando eu fui para a Argentina e para o Paraguai, o meu nível de espanhol (eu estudava na época), me ajudou muito a me comunicar com facilidade. Por outro lado, vi muitos brasileiros que colocavam em prática o famoso “portunhol”, se virando muito bem, quando os próprios moradores locais também não arriscavam em nosso idioma. Claro, estou falando da America do Sul, mas e em continentes como a Ásia? O inglês é um dos idiomas mais falados do mundo, e está presente em todos os continentes principalmente quando se trata de pontos turísticos, e acredite, você não precisa ser fluente para aproveitar as suas viagens. Claro, o domínio é um diferencial, mas não deixe essa crença te paralisar, se dedique, estude o básico a ponto de você conseguir se comunicar e tudo dará certo.

Não tenha medo de viajar só

Quem não gosta de estar acompanhado das pessoas que amam? Principalmente em momentos únicos, como viajar para outros lugares. Porém, não é sempre que essas pessoas estarão disponíveis, ou até mesmo, há quem prefira viajar só. Para mim, ambas as situações podem ser proveitosas, depende do modo que você olha para elas. Amo viajar com minha família e amigos, tanto é que, quando decidi realizar essa viagem para dois países sozinho, no princípio fiquei com vontade de desistir. Que bom que não desisti! Foi um desafio e tanto me virar sozinho, mas o sentimento de capacidade de realização que tive, superou qualquer medo, conheci pessoas incríveis, lugares lindos e consegui refletir muito sobre diversas questões. Se tiver uma companhia, aproveite. Se não tiver, aproveite também.

Que essas dicas sirvam para que você possa rever as crenças que te impedem de realizar essa experiência única e incrível, que é viajar! Comente aqui qual foi o lugar mais incrível que você já visitou e o porque!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s